Prof. Dr. Roberto Kochen - Funcionamento e Monitoramento de Barragens - Domingo Espetacular - Record - Fevereiro/2019

Prof. Dr. Roberto Kochen - Funcionamento e Monitoramento de Barragens - Domingo Espetacular - Record - Fevereiro/2019


https://youtu.be/xxXqtAUocgA?



Repórter Record: Eu já quero chamar aquí o Dr. Roberto Kochen que é do Instituto de Engenharia, diretor desse instituto, que é um instituto independente que existe a mais de 100 anos e que acompanha grandes obras de infraestrutura e meio ambiente. A primeira pergunta é sobre a barragem 6. De manhã alerta que podia romper, depois veio informação que estava descartado esse risco de rompimento. Dá para acreditar? Porque os moradores ficaram agoniados. Pelo conhecimento que o Sr. tem dá para descartar o risco de novo rompimento?

Profº Dr. Roberto Kochen:   A Barragem 6 devia servir de abastecimento de água da operação da mina e ela foi monitorada, há vários vídeos mostrando isso. Ela estava com 1 milhão de metros cúbicos e dizem que ela tinha capacidade para até 3 ou 4 milhões de metros cúbicos, parcialmente cheia e conseguiram baixar o nível com medidas de pressão de água feitas ao longo do dia, é possível que o risco seja baixo.

Repórter Record: O simples fato da lama que escorreu e esbarrou na barragem 6 já é o suficiente para abalar ou provocar uma fissura na estrutura da barragem?

Profº Dr. Roberto Kochen:   Seria possível se a onda de lama tivesse uma energia muito elevada poderia erodir, escovar o pé da barragem 6 e gerar uma condição de instabilidade ou mesmo até de ruptura. Mas isso não ocorreu porque a barragem foi considerada segura e se retirou o alerta na madrugada de hoje. Tudo indica que esse efeito foi pequeno.

Repórter Record: O risco maior é a pressão de água ?


Profº Dr. Roberto Kochen:   É pressão de água se o nível de água da barragem subir pode ser que se volte a fazer leituras e que se reavalie a segurança para se ter certeza de que ela não vai romper também.
Repórter Record: Eu já quero chamar aquí o Dr. Roberto Kochen que é do Instituto de Engenharia, diretor desse instituto, que é um instituto independente que existe a mais de 100 anos e que acompanha grandes obras de infraestrutura e meio ambiente. A primeira pergunta é sobre a barragem 6. De manhã alerta que podia romper, depois veio informação que estava descartado esse risco de rompimento. Dá para acreditar? Porque os moradores ficaram agoniados. Pelo conhecimento que o Sr. tem dá para descartar o risco de novo rompimento?

Profº Dr. Roberto Kochen:   A Barragem 6 devia servir de abastecimento de água da operação da mina e ela foi monitorada, há vários vídeos mostrando isso. Ela estava com 1 milhão de metros cúbicos e dizem que ela tinha capacidade para até 3 ou 4 milhões de metros cúbicos, parcialmente cheia e conseguiram baixar o nível com medidas de pressão de água feitas ao longo do dia, é possível que o risco seja baixo.

Repórter Record: O simples fato da lama que escorreu e esbarrou na barragem 6 já é o suficiente para abalar ou provocar uma fissura na estrutura da barragem?

Profº Dr. Roberto Kochen:   Seria possível se a onda de lama tivesse uma energia muito elevada poderia erodir, escovar o pé da barragem 6 e gerar uma condição de instabilidade ou mesmo até de ruptura. Mas isso não ocorreu porque a barragem foi considerada segura e se retirou o alerta na madrugada de hoje. Tudo indica que esse efeito foi pequeno.

Repórter Record: O risco maior é a pressão de água ?


Profº Dr. Roberto Kochen:   É pressão de água se o nível de água da barragem subir pode ser que se volte a fazer leituras e que se reavalie a segurança para se ter certeza de que ela não vai romper também.